Que tal uma revolução do Cinema de Bolso?

A invenção do cinema foi uma consequência do mundo moderno. Como aparato tecnológico, Ele sedesenvolveu para atender às demandas de produção que passou a ser feita emestúdios. Depois que os irmãos Lumière exibiram "A chegado do trem na estação (1895)", através do cinematógrafo, eles não tinham perspectivas  sobre o futuro da nova invenção. 


Porém, a  linguagem cinematográfica foi aprimorada através de planos, movimentos decâmera, montagem, som e novas concepções relativas à estética trazidas por cineastas que filosofaram  e teorizaram novas concepções relativas a estética de se fazer filmes.

Na década de 60, surgiu o movimento cinematográfico francês chamado "nouvelle vague". Cineastas se aproveitaram das novas câmeras portáteis que permitiram segurá-las na mão e ir para rua filmar, fugindo dos padrões dos estúdios de Hollywood.

Ao longo dos anos, a linguagem cinematográfica tomou forma e com as novas funções dos celulares se tornou possível fazer filmes de boa qualidade, dispensando câmeras muito caras para uma produção independente.  

Um exemplo recente foi o longa-metragem "Tangerine (2015)", filmado com um iPhone o diretor Sean Backer seguiu o exemplo dos cineastas franceses e  se aproveitou dos novos equipamentos tecnológicos para filmar pelas ruas de um bairro decadente de Hollywood.  


A revolução do celular não se trata apenas de captar imagens e áudio. Ela também permite editar e compartilhar filmes sem necessitar usar computadores. Os irmãos Lumière estivem vivos, eles certamente se surpreenderiam. 


Adriano Bidão é escritor, roteirista e compõem o Ecossistema Jardim Digital, que conta com espaço de divulgação e realização de cursos. Conheça mais em www.jardimdigital.com.br/cursos